ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

domingo, 3 de fevereiro de 2019

CONSPIRANDO PARA O BEM!


Certa vez um amiguinho me disse que exatamente à meia-noite, as águas dos rios e cachoeiras param por um segundo, e depois voltam ao seu fluxo normal. Lenda, claro, mas mesmo assim mexeu comigo, ainda aumentei a lenda, e fiquei pensando: “Deve ser porque a gente não está lá para ver. Não devem parar só por um segundo, devem ficar paradas um tempão. Acho que as coisas só acontecem se a gente estiver por perto. Para que acontecer se não tem ninguém para ver? Assim também deve ser com as estrelas, com os passarinhos. Para que um passarinho vai cantar se não tiver plateia? É um desperdício de talento. Para que as estrelas vão brilhar se ninguém olhar para o céu? É um desperdício de luminosidade, de energia”. E assim, tentava ficar acordado até meia-noite para observar, ouvindo deitado na minha cama, se o rio parava mesmo. Nunca consegui, o sono sempre me levava, no outro dia ficava com raiva por ter dormido. O engraçado, é que embora eu pudesse avistar o rio e a floresta durante o dia, meu bairro era bem longe, e mesmo assim, à noite eu ouvia o rio, sei lá, imaginação talvez... quantas vezes sobrevoei aquela floresta sem nunca ter estado lá fisicamente, então ouvir o rio não era tão difícil. Mente de um poetinha metido a Peter Pan. Metido não, eu era Peter Pan... todo mundo pode ser Peter Pan. Isso criou um hábito gostoso em mim, de até hoje ficar olhando os rios, o mar, o balançar das árvores, nunca deixei de olhar para o céu para não perder o brilho das estrelas, e se um passarinho começa a cantar, eu paro mesmo para ouvir. Por quê? Porque gosto que as coisas boas tenham fluxo, não quero que elas parem um segundo qualquer, pois, são espetáculos de Deus.
=
( imagem Peregrina Cultural - google )

11 comentários:

Rejane Tazza disse...

Muito lindo,Carlos!Sempre um prazer te ler! abraços,chica

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa noite, Carlos,
realmente, penso que nada na natureza deve parar, nem que seja por um segundo apenas, pois é o show que Deus nos preparou para sempre, ou enquanto vivermos nesta terra abençoada.Interessante saber que você ficava tentando ouvir se o rio parava, quem sabe até parou para ouvir você.
Muito lindo! Abraço!

Ivone disse...

Que lindo, como é bom sentir a vida, sei bem disso que escrevestes aqui com tanto talento e sensibilidade,
A alma pisciana é assim, nao tem jeito, somos incorrigiveis sensitivos!
Amei seu comentário e também digo aqui "amigo irmão", amei isso!
Olho o céu pra ver as estrelas, imagino o som de um rio seguindo seu curso, o mar, ah, esse eu o sinto em todos os momentos em que me vejo diante dele, pois a natureza nos embala a alma!
Abraços apertados amigo poeta Carlos!

Rosa dos Ventos disse...

Por um lado concordo, por outro não!
Afinal as coisas podem acontecer sem público...há que ensaiar! :)

Abraço

Ana Bailune disse...

Lindo texto!
Me fez lembrar um trecho de Olhinhos de Gato, onde Cecília Meireles nos contava de ter acordado durante a noite quando criança, e ficado surpresa de que a vida continuava enquanto ela dormia.

Janita disse...

Podemos sonhar sempre e em qualquer idade.
Acreditar não faz mal e melhora o ser humano!

Gostei de voltar a ler-te.
É como voar sem ter asas nem ser passarinho.

Um abraço, Carlos, Menino Sonhador, Poeta e Escritor.

Élys disse...

Um texto pleno de sensibilidade, que mostra a beleza da natureza. As pessoas sensíveis conseguem, assim enxergar e com muita inspiração uma linda página escrever.
Um abraço.
Élys.

Jeanne Geyer disse...

menino, que texto!! quanta poesia, pureza e alma infantil encontrei por aqui, tb sou Peter Pan e jamais vou crescer :D abraços

https://rimasnoar.blogspot.com/

Arte & Emoções disse...

Lindo Carlos! Parabéns e continues sempre assim.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Ives disse...

A escola é infinita...abraços

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Carlos, belíssimo. Vi as cenas com tamanha delicadeza que me encantou.
Verdade, certas coisas e situações precisam de ser observadas, compartilhadas, concordo.
Parabéns.
Beijos na alma.