ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 19 de setembro de 2015

POR QUE ESCREVO?... PORQUE DEUS MANDOU!




"Toda arte se faz pela arte. Somente a poesia é um dom celeste puro" ( Guilháum Du Bartas -escritor francês). Vi essa frase numa revista de celebridades e ela veio potencializar um texto que passeava em minha mente já há algumas semanas. Normalmente não abro esse tipo de revista, não me interessa vida de gente famosa, pouco me importa o que se passa no Castelo de Buckingham, meu reino encantado é outro. Não estou nem aí se Chimbinha virou galã rs rs. Não me interessa se Gisele foi trocada pela babá, aliás, queria ver essa babá... deve ser linda... desbancar uma diva? Por isso eu digo, dinheiro não é tudo. E a Gisele não vai deixar de ser grande por causa disso. Voltando ao que interessa, acho que todos os poetas e escritores já ouviram perguntas como: Que hora melhor pra você escrever?... Em que você se inspira?... Escreve melhor quando está feliz ou quando está triste?... Bem, perguntas clichês recebem respostas clichês, mas eu vou tentar responder pelo menos uma sem cair no óbvio. Por que você escreve? Respondo: Ora, porque está em mim. Escrever é dom nato, não dá pra arrancar da gente. Não fui eu quem escolheu a poesia,  ela escolheu a mim, nasceu no meu berço quando eu nasci. A frase do escritor francês é perfeita. Claro que é preciso aprimorar o dom, sinto que escrevo melhor do que vinte ou trinta anos atrás, mas tenho poemas daquele tempo dos quais não abro mão, acho-os perfeitos, considero-os como meus norteadores na juventude, porque são absolutamente espelhos do que vivi, e essa é uma das poucas regras que utilizo para escrever: escrever o que sinto de verdade. Se não for assim, a poesia deixa de ser poesia. A outra regra de que não abro mão é a emoção, mas não que eu procure ser assim... eu já sou assim. Sem emoção a poesia não toca nas pessoas, e o que seria da poesia se não fosse para tocar nas pessoas? Se tenho estilo? Tenho, estilo livre. Nada é mais lindo do que a imaginação, a gente pode tudo. As pessoas vivem reclamando de liberdade de expressão, liberdade disso e daquilo, mas abrem mão da principal que é a imaginação, o pensamento. Admiro vários escritores, mas não copio nenhum deles, pois se eu copiar, a arte está parando em mim, começa a morrer a partir do momento em que é copiada. Tenho técnica para escrever? Acho que não, acho que tenho particularidades.  Até alguns anos eu não sabia escrever textos, crônicas, contos, isso me fazia me sentir incompleto, minha autocrítica cobrava, 'que escritor sou eu que não sabe escrever  textos?'.  Então passei a ler vários contistas importantes, e acho que desenvolvi bem. Quase ninguém acredita no que vou dizer. Textos de 35 ou 40 linhas ficam na minha mente por semanas, eu não os coloco no papel, mas  não os perco, aí quando tenho uma folga, digito direto no computador. Alguns faço mentalmente de madrugada, deitado na cama, durmo e no outro dia vou digitar. Alguns tenho a sensação de que dormi e acordei com eles na mente, prontinhos. Às vezes digito em cinco minutos. Até acontece de mudar uma ou outra palavra, fazer algum ajuste, mas não mais que isso. Como isso acontece? Não sei, nunca vou saber, até acho melhor não procurar saber... porque essas coisas são divinas. Alguns digito até chorando prque não acredito que fui eu. Não gosto que associem minha escrita ao meu QI, não tem nada a ver, os astronautas, os cientistas que são pessoas importantes na humanidade, têm alto QI e não são poetas. Poesia é coisa transcendental, interdimensional, angelical... é coisa de Deus, e é assim que vivi, vivo e vou viver a poesia, respeitando-a como dom que Deus me deu.
=
( imagem luzdegaia.org )

7 comentários:

Dorli Ramos disse...

Oi poesia
A poesia brota de um coração apaixonado pela vida e sofredor pelas atrocidades.
Ainda não morri
Beijos no coração
minicontista

Ivone disse...

Meu amigo poeta, sei muito bem do que dizes aqui, eu escrevo também por intuição e nunca faço rascunhos, escrevo direto e logo dou um jeito só de corrigir alguns erros para não ser de frases repetitivas, textos longos as pessoas não se sentem dispostas a ler, nem todos nasceram com hábitos da leitura e da escrita né mesmo?
Eu aprendi a ler e escrever com cinco anos, meu neto mais velho tem dezenove anos e já está em um grau alto de capacidade na vida por ter aprendido a ler e escrever com apenas cinco anos também, acho que é mesmo dom divino isso de poetas!
Amei ler aqui, tens uma capacidade muito boa de transmitir sua sensibilidade, até me faz crer mesmo que os piscianos(também sou que você já sabe) nasceram para as místicas transcendentais!
Abraços apertados!

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde carlos
Estou de acordo com as palavras da Dorli, totalmente de acordo!

Adorei o texto

Beijo e um sábado feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Marisa Giglio disse...

Carlos , concordo com você quando afirma que é dom divino ser poeta . E parabenizo-o por seu dom . Assim , nos presenteia com
sua sensível e bela escrita . Obrigada . Beijos

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Verdade meu amigo a poesia não se explica acontece, agora te admiro porque tudo que vem em minha mente se eu não escrever rapidinho eu esqueço, nem o tema lembro, estranho né? Quero te agradecer o carinho, meu irmão era e é meu chão, bjos Luconi

Eliete disse...

Caro Carlos, em primeiro lugar obrigada pelas visitas frequentes no meu blog e por mensagens de incentivo. Quanto ao que você escreveu concordou em tudo com você e identifiquei-me muito com tudo. Só quem tem uma alma linda é capaz de fazer poesia.um abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

entendo seu texto, e que sua inspiração nunca lhe falte!
boa semana.
beijo

:)