ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 20 de abril de 2015

SOBRE HERÓIS E TRAIDORES... E SONHADORES.




Luís era um professor de História diferente, era assim que eu o tratava, e ele respondia que eu também era um aluno diferente. Puxa, aquele cara gostava de mim, e eu dele também, tínhamos ideias parecidas. Perguntava: “Vocês querem saber a história do Brasil contada nos livros, ou a verdadeira?”. Todos respondiam pela segunda opção. E ele, barba por fazer, puxando para trás o cabelo sempre atrapalhado e meio longo, dizia. “Bem, como professor sou obrigado a contar a dos livros, mas nada impede de dar uma pausinha para contar a real”. Fazia paralelos entre o livro e o que ele acreditava, abria discussões, fazia questão de ouvir minha opinião, aquilo para mim era um prato cheio, eu até me levantava, tinha dia que eu falava mais do que ele. Um dia, comentou no recreio: “Caramba, ontem você deu aula no meu lugar. Devia ser professor, leva jeito”. Respondi: “Levo não! Isso é dom!”. Sempre que podia tomava cerveja com a turma, um dia pediu que eu ficasse, que deixasse o ônibus que era o último ( só eu que sempre pegava o último), depois me levaria em casa. Conversamos até umas 02h da manhã, mas antes de chegar na política que ele gostava tanto, falou de heróis e traidores da história: “Já reparou que todos os heróis que sucumbiram foram traídos? Che Guevara, Lampião, Tiradentes, e o maior de todos, Jesus Cristo. A amizade de Judas valia trinta moedas. E mais, o traidor é sempre alguém que deve impostos ao governo. O poder é inteligente e se utiliza disso, oferece troca de favores como perdão de dívida, por exemplo. O poder tem tudo nas mãos”. Continuou: “Da mesma forma, Silvério dos Reis, traidor de Tiradentes morreu na mesma, endividado. O dinheiro não lhe valeu nada”. Continuou ainda: “E assim foi com Lampíão, Che Guevara e tantos outros. Ao lado de cada herói, sempre há um traidor, um puxa-saco”. Fiz algumas observações, até ele me interromper, estava bem envolvido em política, afiliara-se a um partido recentemente, e sugeriu: “ Você é um pensador jovem, gosto de jovens inteligentes. Por que você não entra para a política? Você tem gana, garra e ideias”. Nem pensei e falei rindo: “Você me diz que ao lado de cada herói tem um traidor, e quer me colocar na política? Mui amigo! Quer algo mais perigoso e sujo do que a política?”. E ele depois de rir também: “ Mas querendo ou não, a gente precisa da política, sem ela não se vive, e se a gente continuar pensando assim, as coisas nunca vão mudar. A gente muda a política dentro da própria política, fazendo coisas diferentes”. Resumindo, respondi: “Luís, concordo com tudo, eu também sou um idealista, por mim eu mudaria não só o Brasil, mas o mundo inteiro, acontece que eu penso que o sistema sempre vence, e quem vai contra ele, dança, como todos os heróis que você citou. Eu sou um poeta, quero fazer as coisas diferentes que você falou, mas através da poesia, quero transmitir ideias novas às pessoas, não tocando na política, e sim, no coração, que haja uma mudança sim, mas social, de raciocínio, de não alienação, de mente aberta, que as pessoas se desprendam um pouco do materialismo, da felicidade comprada em vitrines, de vaidades, de modismos, enfim, quero usar minha poesia para tocar no âmago das pessoas”. Ele nunca havia me encarado tanto. Exclamou: “Menino! Você é mais louco do que eu! Acho que a minha missão é mais fácil do que a sua”. Respondi: “Eu sei disso, pior é que sei, mas a gente tem que sonhar, não é? Sejamos loucos!”. E ele: “Loucos, mas felizes!”.
A despedida de Luís da escola foi no mesmo bar, ia lecionar em BH. Não sei se ainda está na política... ou se desistiu de mudar o que não tem jeito. Eu? Se eu desisti? Não, não desisti! Ainda acredito na poesia transmitindo valores, agregando pessoas, abrindo mentes, suavizando corações.

====


Através desse texto homenageio Tiradentes. Ainda que alguns digam que ele era apenas um riquinho insatisfeito com a cobrança de impostos, mas e daí? Alguém tinha que ter coragem de se rebelar, de criar um movimento,  e ele deu a vida pela liberdade do Brasil, em nenhum momento recuou ou negou, e ainda isentou os companheiros, isso derruba a tese de que seria apenas um rico tentando se livrar de impostos.

9 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Carlos!

Parabéns pela fantástico artigo em leitura. Adorei.


Beijo, e um dia feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

lua singular disse...

Oi Carlos.
As histórias que nos contam ninguém sabe a verdadeira.
Mas quem foi o verdadeiro herói, Tiradentes( o intelectual de botequim) ou Zumbi dos Palmares que lutou a vida inteira para os direitos da raça negra.
Já escrevi muito desses assuntos no blog que já até me tiraram a postagem do ar. Eu briguei com o Google até ela reaparecer do contrário iria postá-la quantas vezes fosse possível.
Sempre imprimia uma cópia no pendrive.
As visualizações bombavam, mas eu só queria expor minha opinião até que no outro dia ela reaparecia.
Eu não gosto de política, mas estudo a política, assim como já li o livro: Maquiavel e muitos outros.
Tenho uma "biblioteca" em casa.
Beijos

o mar e a brisa do prazer de aprender disse...

Carlos, creio que essa seja a função social do professor: gerar mudança, fazer os alunos questionarem e sobretudo criar laços afetivos de amizade.
Parabéns, nosso amado poeta.

Ivone disse...

Amigo Carlos, Tiradentes foi o único dos inconfidentes que pagou por todos os outros com a própria vida!
Li o livro: Confidências de um Inconfidente escrito por Marilusa Moreira Vasconcellos, todo psicografado pelo espírito de Tomas Antonio Gonzaga.
Achei muito bem escrito, com todas as verdades que podem ser comprovadas por pessoas que queiram estudar os fatos, li duas vezes de tão interessante que achei.
Pois é, muitas verdades não são ditas, pois havia muitos interesses políticos em tudo isso, tanto que se desse certo seria o Tomás Antonio Gonzaga o candidato a presidência da república na época depois do levante, como todos nós sabemos, nada é por acaso, estamos até hoje assim, lutando e batalhando para que haja clareza e honestidade na política.
Tudo o que envolve dinheiro e poder é mesmo assim!
Abraços amigo!

JAIRCLOPES disse...

Soneto-acróstico
Ao Sonhador

Visionário mineiro certo Tiradentes
Inconformado com lusa exploração
Num patriotismo sem antecedentes
Tomou rédeas para fazer revolução

Ele e companheiros inconfidentes
Unidos em nome da liberdade estão
Movidos por ideais assaz ardentes
Declaram libertar o nacional torrão.

Então, deliberaram em sua conjura
Alertado o velho explorador lusitano
Barrou sem retorno essa conjuntura.

Rechaçando esse sonho brasiliano
Infamou o Tiradentes àquela altura
Levando à forca tal Alferes “insano”

Lilly Silva disse...

Carlos muito boa postagem a sua!
Texto primorosamente escrito!
Tenhas um bom feriado!
Abraços e beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Isa Martins disse...

Oi Carlos, passando pra dar uma espiada rápida pelos blogs, a vida não tem me dado tempo pra curtir a net como eu gostaria rs
Quanto ao assunto, tenho reformulado muito meus valores, então no quesito materialismo, futilidades, espiritualidade etc percebi que está tudo interligado e é muito relativo, depende das crenças e valores de cada um...
Viver só de espiritualidade num mundo material seria negar a vida neste planeta, estamos aqui pra viver no sentido literal da palavra.
A traição também é relativa e creio que todos já foram traídos de alguma forma, porque na maioria das vezes pra defender os próprios interesses as pessoas tem que ir contra os interesses alheios, enfim...
Uma ótima noite e bom restinho de semana, abraços

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Dentro da história haverá outras histórias mas a nós contam-nos uma bem diferente.
Gostei da relação professor /Alunos.

Hélder Fernando Gonçalves disse...

Todos os povos, em certos momentos da história, tem os seu Tiradentes. A revolta dos explorados e dos injustiçados chegará um dia. A História da Humanidade entretanto repete-se, dando outra roupagem aos que continuam a explorar impiedosamente o seu semelhante. Tiradentes, Bolivar Che Guevara, e tantos outros, são o testemunho que, como o grande poeta Gedeão, no seu conhecido poema disse "sempre que o Homem sonha o mundo pula e avança"
Gostei deste Blog. Parabéns
Um abraço
Hélder Gonçalves/Docarmo