ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

RECITANDO - NÃO CONTO MAIS ESTRELAS


Ainda criança contava estrelas pra brincar.
Se passava uma cadente
vinha logo na mente
um desejo pra pensar.
Coisas de menino
que desde cedo aprende a sonhar.
O tempo passou.
Meio criança,meio homem, andei contando estrelas pra esquecer
anseios e devaneios,afins e afãs.
Quantas vezes vi nascer as manhãs
contando estrelas pra esquecer!
Coisas de homem que não aprendeu a crescer.
Mas as lembranças eram tantas
que se confundiam com as tais,
por isso não conto mais.
Se passa uma cadente
não olho para o céu.
A poesia é meu único véu,
talvez resquício de uma infância
que insiste à porta bater
minha redoma contra ilusões.
Ilusões... pra quê tê-las?
Hoje não conto mais estrelas.
Nem pra brincar,nem pra esquecer.

14 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Olá, Carlos
Brincar com estrelas ou poesias é uma forma de aliviar a alma e manter viva a criança interior que não deve morrer em nós...
Linda poesia reflexão!!!
Seja abençoado e feliz!!!
Bjm fraterno de paz e bem

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Carlos as estrelas são mágicas pois nos levam a voar em sua direção, e desistir de brincar com elas é morrer um bocadinho, lindo poema, mas me mostra uma alma tão triste, bjos em seu coração, Luconi

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Carlos
Fantástico este teu texto, adorei.



Tenha um dia feliz.
Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

✿ chica disse...

Muito linda tua poesia e apesar de hoje não mais contá-las, devemos olhá-las! abração,chica

Rô... disse...

oi Carlos,

gostei demais da poesia,
mas eu conto estrelas até hoje,
passar algum tempo olhando o céu e brincando com as estrelas me encanta...

beijinhos

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Luconi, Rô e demais amigas. Eu ainda conto estrelas sim. Esse poema foi só um momento meio ruim. Qual poeta não conta estrelas? Seria negar a própria essência. Obrigado pels comentários.

Sonia Amorim Neto disse...

Boa tarde amigo poeta, sabe que me fez voltar no tempo, quando passava horas contando as estrelas e torcendo ver uma cadente, tinha sempre um pedido em mente, e sabe que ate hj se vejo uma sem querer logo peço, lindos versos, beijo no seu coração.

Dorli disse...

Oi Carlos,
Hoje ninguém conta mais estrelas, é perigoso ficar entre balas perdidas.
Os sonhos!Belos sonhos!
Mas, temos que viver e cumprir nosso itinerário aqui na Terra.
Obrigada pelos cumprimentos do meu aniversário. Não queria tirar foto, pois tive tiroide e engordei muito.
Beijos no coração
Lua Singular

Marisa Giglio disse...

Carlos , belo contar de estrelas . Gostei ! Beijos

Marilu disse...

Olá querido amigo, como vai? Estou meio afastada do blog em virtude da gravidez da minha filhota, agora que minha netinha nasceu estou voltando. Postei uma fotinho linda da Maria Julia, gostaria muito de receber sua visita. Beijokas

Arione Torres disse...

Oi amigo Carlos, que lindo!
As estrelas são muito lindas, me perderia se fosse contá-las!
Abraços e boa semana!

Meri Pellens disse...

Não precisa contar estrelas. Contemplar já é suficiente!
Bjs... MP ;)

José María Souza Costa disse...


Olá, Carlos,
Um texto agradável, para lermos.
Bom fim de semana
Abraços

Carmem Grinheiro disse...

Olá Carlos,
Quem um dia, não contou estrelas?
Contar estrelas para brincar, contar estrelas para esquecer, contar estrelas para recordar... contar por contar. É sempre bom. Faz-nos tomar consciência da nossa própria insignificância, num universo tão grande.
Faz-nos até sentir enormes, quando descobrimos uma estrela em que ainda não tínhamos reparado nas contagens anteriores.
Contar estrelas é bom.
Abço