ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

domingo, 6 de janeiro de 2013

A LENDA DO BEIJA-FLOR DE UMA FLOR SÓ.


Li uma vez que toda lenda tem um fundo de verdade, e toda verdade tem um fundo de lenda. Não sei dizer se toda verdade tem um fundo de lenda, mas na primeira opção, acredito sim. Uma pessoa muito entendida disse-me que o autor sempre coloca um pouco de si nos textos e poemas, e por mais que ele tente disfarçar sempre há algo nas entrelinhas, e talvez ele nem tente disfarçar, coloca de propósito mesmo suas idéias, sensações e opiniões. Essa é a breve LENDA DO BEIJA-FLOR DE UMA FLOR SÓ, tão breve quanto ele próprio.
Era uma vez, num reino, esse sim, muito, muito, muito distante mesmo, que nem existia no mapa, havia um Beija-Flor, muito lindinho, coloridinho, serelepe, encantador como todos de sua espécie. Sobrevoava os jardins, beijava as flores com afinco, dedicação e amor, assim como todos de sua espécie também, mas esse era um Beija-Flor diferente, as flores o amavam pelo seu jeitinho diferente de lidar com elas, ele não era só aquele passarinho que sugava o néctar delas, ele parecia ter um docinho no bico também, e assim, seus beijos não eram sugadores, eram uma troca, uma reciprocidade, um dar e receber mútuo. É claro que havia um certo ciúme entre as flores por causa do príncipe dos jardins, mas no fim, elas entendiam, pois sabiam que era da natureza dele esse beijar constante, esse ir e vir de manhãzinha e tardezinha, além do mais ele beijava a todas por igual, sem distinção, ele sabia que precisava do néctar de todas. Seria um Beija-Flor Don Juan? Não, ele não fazia por mal, era a sina de Beija-Flor que o tornava tão irrequieto, inconstante, sem fixar lugar. Num belo dia, ou num feio dia, ele desapareceu, ficou várias semanas sem ser visto nos jardins, e todos se preocuparam. A joaninha, as borboletas, os outros passarinhos, se perguntavam: “Por onde anda o Beija-Flor? Será que algum menino malvado o atingiu com estilingue?”. Alguém respondeu: “Não!. Ele é muito esperto para ser pego por estilingue”. Outro. “Talvez tenha adoecido e morreu sozinho por aí”. Uma flor retrucou: “Também acho que não. Não parece, mas ele é bem jovem, e estava em pleno vigor físico”. As demais flores não gostaram desse comentário da amiga que já era vermelhinha , e ficou ainda mais, de vergonha pelo que não conseguiu segurar. Muitas vezes o amor faz as pessoas dizerem o que não querem... ou não podem. E assim se passaram muitos dias, até que a velha e sábia coruja apareceu com a notícia: “Eu sei aonde anda o Beija-Flor. Moleque ousado que é, foi visitar outros reinos, conheceu uma flor diferente, muito linda, encantou-se, apaixonou-se por ela, e agora beija somente a ela. Tornou-se um Beija-Flor de uma flor só!”. Curiosamente, as flores não ficaram tristes, ao contrário, ficaram felizes, pois no fundo todas elas torciam que ele fosse feliz um dia, mas nenhuma delas jamais esqueceu o beijo daquele Beija-Flor.
E assim termina A LENDA DO BEIJA-FLOR DE UMA FLOR SÓ. A lenda que quase aconteceu.

6 comentários:

Marlene disse...

LINDA HISTORIA ONDE SE CRUZAM AS ALMAS DO BEIJA -FLOR E DO POETA N FUNDO ELES SÃO UM SÓ BEIJANDO FLORES DESTRIBUINDO CARINHO POESIA ENCANTO NAS VIDAS DE TODOS BJS COM CARINHO LINDA SEMANA PARA A MAGIA DA POESIA E DO POETA MEU CARINHO AMIGO MARLENE

Estrela disse...

Olá, poeta!
Linda lenda!(Gostou do trocadilho?)Rsrsrs.Faço minhas as palavras da Marlene, o menino poeta é o mesmo beija-flor que nos faz feliz com seus escritos doces.
FELIZ ANO NOVO E QUE TODOS OS SEUS SONHOS SE REALIZEM E SEJAM ABENÇOADOS PELO NOSSO PAI DO CÉU.
Bjus!

Maria Cristina Gama disse...

Olá, Carlos Soares...

Uma história bem bonita e autobiográfica...

Quase aconteceu... Uma vez ouvi de alguém que devemos subir no cavalinho branco quando ele passa, pois ele passa só uma vez...

É... Passou...

Um grande beijo...

Cris Amag

Maria da Graça Reis disse...

Olá,Poeta!
Gostei da quase lenda.
Continue voando pelos jardins e não esqueça que as outras flores também possuem perfume.
Um lindo 2013 para você e todos os seus.

Bjus!

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido Carlos

Uma linda lenda...ou quase biografia de um beija flor.Adorei como sempre.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Severa Cabral(escritora) disse...

Nossa que bonito amigo!!!!!!!
Estou aqui hoje por um motivo mais que especial.
Tenho que dizer que não foi fácil conseguir você para ser meu seguidor,
foi muita motivação impulsionando com postagens e visitas...que atingi 300 seguidores
Agradeço te convidando a visitar a florada do IPÊ junto comigo no FOLHAS DE OUTONO !
Deixo o meu abraço recheado de carinho !!!!!