ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

O EREMITA



Olhou para trás para ver seus passos, mas não os viu mais. O vento os apagou como se eles não tivessem sentido, a areia cobriu tudo que ele percorreu, dando a impressão de que tudo foi em vão. Seus passos agora só existiam dentro de si, desejou arrancá-los também de sua mente, mas isso era mais forte que ele. Onde estavam todas as pessoas agora? Ecoavam em sua mente, só lembranças, vozes, gargalhadas, lamentos, imagens pálidas, nada mais era palpável. Olhou à direita, à esquerda, e contemplou o vazio. Como vazio é grande! Como o vazio é pesado! O sol escaldante era menos cruel que tudo isso, a areia do deserto queimava menos em sua pele do que a areia do tempo. Pensou em encostar, não havia paredes. Pensou em chorar, não havia ombros. Recuperou-se do breve momento de fraqueza, balançou a cabeça e a alma, desvencilhando-se do surto de tristeza. Nunca se permitira ficar triste, nunca tivera muito tempo para isso, passou a vida toda cuidando de seus passos... mas onde estão aqueles passos? Apesar do deserto impiedoso, não sentiu sede, pois uma sede maior o movia, a sede dos acostumados a caminhar sozinhos. Olhou adiante, vislumbrou um horizonte confuso, difuso, mas era o único que tinha, e seguiu em frente. Andou, andou, andou... até ser engolido pela solidão do deserto. Como se tivessse direito, pediu ao vento que apagasse também suas últimas pegadas. Nunca teve certeza se o vento atendeu seu pedido, porque nunca mais olhou para trás.

29 comentários:

blog. da Tereza Maria disse...

Olá, amigo
Todos nós temos um pouco de Eremita...
Bom tê-lo de volta ao blog.
Parab[ens pela poesia que corre em suas veias , vibra em seu coração e sai por cada poro da sua pele.
Beijo na alma!

Xanele disse...

Vim desejar um otimo dia
bjs Xan

Majoli disse...

Oi meu querido Carlos, precisamos aprender a não olhar pra trás, pra não nos machucarmos.
Trago dentro de mim, muito de "Eremita".
Gosto de te ler, me sinto sempre invadida por tuas palavras, me emocionam.
Beijos com carinho.

Dri disse...

Mas são nossas pegadas que fazem a nossa história.

Ótimo fim de semana pra ti.

Abraço

;)

✿ chica disse...

Que coisa mais linda,Carlos...Gosto de te ler! abraços,chica

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia meu menino beija-flor!
Estava com tanta saudades de vc e das suas escritas,kkkkkkk,parece mentira né,mas é verdade.meu coração é assim,igual a todo mundo ou diferente de todo mundo,ainda não sei decifrá-lo...não tem importância para o momento.
Quero te contar um segredo,kkkkkkk,meu coração amanheceu em festa...
Passa lá no meu cantinho para bebermos um vinho em comemoração...não esqueça...estou te esperando...
Bjsssssssssssssssssss

Majoli disse...

Você sumiu do Rabiscos....como sempre faz....sniffffff.
Só quando venho cobrar que você aparece.
Mas essa é a ÚLTIMA VEZ que vou cobrar!!!
Depois...chegarei a conclusão que não gosta de me ler.
grrrrrrrrrrr

Beijos.

Everson Russo disse...

Que sigamos nossos caminhos sempre em frente...abraços de bom feriado pra ti meu amigo.

Marcia disse...

Belissimo texto menino poeta! Um grande bjo!

Chris... ჱܓ disse...

Mas sempre olhamos para trás, pois é quando paramos para ver nossa história, nosso passado que não se apaga.
O bom mesmo é olhar para trás e ter orgulho do que se vai deixando...

Lindo texto.
Emociona.

Bjos menino.
Bom feriado pra ti.

Desnuda disse...

Bom dia querido Poeta!


Há vezes que gostaríamos de apagar nossas pegadas e começar do zero, sem olhar para trás. É possível e muitas vezes necessário, não olhar para trás e zerar uma etapa desconfortável, mas não acho que seja possível ou bom apagar nossas pegadas em nossa caminhada, pois é por elas o benefício, o aprendizado, o desejo de avançar,mudar e ir em frente.


Beijos com carinho amigo.

Evanir disse...

Setembro chegou é o mês que eu nasci.
para encantar a vida dos meus pais.
Era tão lindo meu aniversário
minha mãe fazia aniversário um dia depois de mim.
Hoje sinto tristeza nessa época mais também agradeço
a Deus por mais um ano de vida.
Dói a saudade mesmo sabendo que hoje
ela mora com Deus.
Sentembro é para mim o mês mais lindo do ano
tudo porque é meu aniversário.
Setembro chegou e com ele a primavera
com seu perfume suave das flores.
Uma feliz quarta feira.
Beijos com perfume das flores angelicais.
Evanir

Carissinha disse...

Que lindo, Carlos!
Estava com saudade de passar por aqui.

Se eu soubesse caminhar sem jamais olhar para trás...

Beijos!!

claudete disse...

É meu amigo nós somos o que escolhemos...Ser eremita , algumas vezes é muito bom, mas ainda quando contamos com a ajuda do vento ...Entretanto apaga a superficilidade sem deixar que nos aprofundemos na nossa solidão...Belo texto poeta!

Marly Bastos disse...

E se sumir de novo eu aperto suas bochechas até ficarem roxas viu?
Carlos, é bom quando não se tem que olhar pra trás e ficar procurando as pegadas de dor, de tristeza e de solidão. Quando são pegadas na areia são mais fáceis de serem apagadas, mas quando são no barro, as vezes as marcas ficam pra sempre.
Adorei sua poesia de ermitão. Bem profunda e verdadeira.
Beijokas doces seu buchechudinho lindo.

Carla Fernanda disse...

E no caminho novas lembranças e novas idéias de como guardá-las...
Boa noite Carlos!
Beijos mineiros!
:D
Carla

Esplendor da Criação disse...

Olá amigo poeta!
O melhor é não olhar para trás, mas as vezes insistimos e ficamos tristes se não enxergamos nada. Lindo seu conto. Bjs. Ieda.

Estrela disse...

Querido poeta! Você escreve como quem traduz os sentimentos que todos nós trazemos em nossas almas.
Bjoks!

Everson Russo disse...

Um belo dia pra ti meu amigo poeta...abraços fraternos.

ValeriaC disse...

Que lindo, que profundas suas palavras meu querido...sabe, na realidade nossos passos são apagados,por mais que a gente venha a se esforçar para que fiquem sempre bem vívidos, pois o passado e tudo o que nele vivemos não mais existe de fato, podemos até traze-los em nossa mente, mas as emoções que trazem são vividas no presente, que é o unico instante real que eternamente temos e teremos...na verdade, gosto de ser meio eremita também...ficar no meu silêncio mas faz bem, me equilibra...
Feliz dia amigo...beijos...
Valéria

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Apesar de triste, é um belo texto. Devemos sempre olhar para frente, pois o que passou faz parte apenas das lembranças.
Abração

Vivian disse...

Olá,Carlos!

Nossa...que texto forte! Todos temos estes momentos, em que fica difícil saber se valeu à pena, mas passa, e continuamos seguindo, acreditando.
Lindo texto!
Tudo bem por aí? Espero que sim...
Beijos!!

Vinicius.C disse...

Boa tarde Carlos!!

Eu já fui um tipo de eremita.

Muito bom o texto!

Uma ótima tarde meu amigo!

Espero por vc no Alma!

Sonhadora disse...

Meu querido Carlos

Hoje passando para oferecer o meu selinho de 2 anos de blogue, feito com o carinho das vossas palavras e com a amizade dos vossos comentários, que me enchem o coração de calor.

Beijinhos
Rosa

Jorge disse...

Olhar para tras é sempre útil se tem a finalidade de crescer. E vamos caminhar solitário muitas vezes pois é quando nos interiorizamos para meditação que é muito importante para nossa harmonia.

Amigo poeta, um forte abraço!!

Secreta disse...

Para a frente é o caminho...olhar para trás a maioria das vezes só nos prejudica...
Beijito :)

Dja disse...

É possivél meu poeta querido, seguir em frente sem olhar pra trás?
Pelo menos uma olhadinha, não pra ficar preso no passado, mas pra ver, saber e sentir porque tá indo em frente.

beijos
meu carinho
Ótimo fim de semana.

Eliete disse...

Carlos, não gostaria de ser um eremita, de ficar só, de não ver minhas pegadas.Viver o vazio, o silêncio por muito tempo.mas adorei o que você escreveu, pois senti a angústia deste eremita.bjs

Reflexo d'Alma disse...

""Nunca teve certeza se o vento atendeu seu pedido, porque nunca mais olhou para trás.""

Fiz minha primeira tatuagem exatamente por esse motivo: para não
re
tro
ce
der em mim...

Bjins entre sonho e delírios