ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

NO OLHO DO FURACÃO


( imagem fiocruz.br )
Ando meio assim...
Como a palmeira
oscilando entre os ventos da razão e da emoção
na consciência de estar fincado à minha raiz.
Só assim sou feliz.
Como folha seca que se finge indecisa
e vai aonde quer
gosto de estar aqui, ali, acolá, obedecendo sim à brisa
mas pronto para o que der e vier.
Se ela se torna furacão
não me importo, assim também é meu coração
Entre os réus do amor sou inocente
também não quero julgar.
Eu sou um balão, sou pipa no ar
sou Fênix reluzente,
não nasci para o solo.
Sou menino renitente,
sou adulto pedindo colo.
Em dias claros sou pássaro atrevido,
em noites escuras sou vagalume escondido
que escolhe quando brilhar.
Talvez não muito compreendido,
isso às vezes dói um pouco,
mas trago no peito um grito rouco
que não me permite calar.


29 comentários:

Valquíria disse...

É o silencio interior que nos leva ao olho do furacão, é lá que tudo parece normal, mas basta um deslize, pra que tudo tome grandes proporções... Descansa no Senhor, ...Ele realizará o desejo do teu coração...voa e conquista tua felicidade. Beijos.

✿ chica disse...

E apesar de tudo, não deves mesmo calar...Lindo! abraços,tudo de bom,chica

Carla Fernanda disse...

Obrigada mas não foi eu que fiz não. Foi Barcelos Carlos.
E eu também gostei.
:D

Sandra Botelho disse...

Deus do céu, menino que coisa lindaaaaaaaaaaaaaaa...O coração gritou em versos heim?
Bjos achocolatados

Marly Bastos disse...

Carlos, eu gostei por demais do seu poema visse?
Quase me descreveu aqui, sou assim como você poetou, e esse trechinho eu amei:"Como folha seca que se finge indecisa e vai aonde quer gosto de estar aqui, ali, acolá, obedecendo sim à brisa mas pronto para o que der e vier."
Folhinha sabidinha né?
Muito lindo Carlos, buchechudim da mamãe.
Beijokas doces

Dja disse...

Oie meu poeta querido que doloooo



uauuu que lindooo.
Carlos.

Meu carinho pra vc e beijo.

Guará Matos disse...

Te convido esse espaço, venhaaaaa!
http://abordagenseimpressoes.tumblr.com
Se torna mais um a acompanhar.

Bjs.

Severa Cabral(escritora) disse...

Boa noite meu beija-flor!
Venho lá do cantinho da Evanir,toda radiosa pela homenagem que ela me prestou.Sei que não sou tão merecedora ainda de tamanha homenagem,faz pouco tempo que estou no seio de vcs.Apesar que já conheço o suficiente para chamar de amigo.
Estou aqui para te agradecer as palavras lindas que vc deixou gravada nos comentários da Evanir.Vc me fazendo esses elógios teve grande valor no sentido do gesto.Obg meu querido!
Bjssssssssssss

Aclim disse...

Lindo poema

abraço

Artes e escritas disse...

O ar, quando calmo é brisa, quando não, é furacão. Muito lindo essa sua expressão poética. Um abraço, Yayá.

IT disse...

No Olho do Furação...

O vOO do Beija-Flor!

Emoção! Furacão! Reflexão.

Ah! Poeta, ah! beija-flor, segure firme e voe. Sempre haverá bonança depois da tempestade, digo, no olho do FURACÃO!

Beijim no "buchechudim da mamãe!
Hahahahahaha. Adorei essa! (ړײ)

Universo Paralelo disse...

Nem sempre somos compreendidos, e isso faz de nós um mistério a ser desvendado, adorei seu poema, linda inspiração, beijos e bom dia!

Luciane Morais disse...

Uau! Que lindo poema* Amei***
Você é fantástico amigo*

Tudo de bom pra te* Saúde, alegrias, sucesso, amor, muita poesia sempre em su vida**

Abraços
Lu

Anne Lieri disse...

Carlos,é bom quando mesmo diante de acontecimentos ruins, ainda temos força para gritar e reclamar!Linda e forte sua poesia!Sempre muito bom te visitar!Bjs,

Marlene disse...

CARLOS poeta furacão pipa ou passarinho não se cale não
deixa tua alma gritar bem alto o que te vai no coração para que todos possamos escutar quando dizes teus poemas,lindos divinos,brotados do coração,um abraço poetaseja muito feliz sempre marlene

Jorge disse...

O importante é sermos o que somos. É viver assim que estaremo felizes conosco mesmo.

Um grande abraço, Poeta amigo!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos
Em qualquer situação, seja você mesmo, pois só assim conseguirá ser feliz.
Grande abraço

Desnuda disse...

Querido amigo,

Que beleza de poema. Um poeta não cala nunca os seus sentimentos e as suas emoções que se multiplicam em todos porque ele absorve de todos dores e alegrias. É sempre uma troca de energia com o universo e as pessoas através da sensibilidade.

Obrigada pelo carinho, Carlos! Beijos 1000!

Vivian disse...

Bom dia,Carlos!!

Momentos difíceis...tempestades, passam...logo vem a calmaria.Enquanto isso...
Melhor extravasar em poesias!!

**Fico contente que não esteja chateado comigo!
Fique bem!
Beijos pra ti!!
Bom final de semana!

Dja disse...

Bom dia!! meu poeta.

Meu carinho, e um ótimo fim de semana.

beijos no seu coração que dolooooo

ValeriaC disse...

Meu querido, que coisa mais linda, mais plena da sua bela verdade...muito tocante seus versos amigo...
Bom final de semana...beijos
Valéria

Sonhadora disse...

Meu querido carlos

Como sempre lindo...emoções à flor da pela.Adorei e deixo o meu beijinho com carinho.

Sonhadora

Rosa Carioca disse...

Andar ao sabor do vento... é sempre surpreendente!

Evanir disse...

Viva a vida com muito amor.
Mate saudades,enquanto é tempo.
Peça perdão ,mesmo que seja você o ofendido.
Recupere o tempo perdido ,procurando ser feliz nas coisas de Deus.
Faça um carinho,alegrando alguém que esta triste.
A todo instante,fale uma palavra especial para
quem necessita ouvir.
Com seu amor podera fazer mudanças em muitas vidas.
Creia você pode não mudar tudo nesse Mundo.
Mais poderá fezer no coração de muitos.
A morada de Deus.
Um Domingo na paz e na luz de Jesus.
Bjs no coração.
Evanir

claudete disse...

Assim como não podemos tirar o stress da nossa vida ...estar no olho do furacão nos incentiva o silêncio e a reflexão e extravasar o que sentimos diante das circunstâncias é fundamental para o aprendizado.Autenticidade é o que te rege. Abraços.

José Sousa disse...

Amigo Carlos!

Depois de uma temporada de trabalho com na realizações de festas, cá estou eu já com menos trabalho e com mais disponibilidade para o que gosto que são os meus blogues e seguidores.

Gostei deste poema muito harmonioso, como sempre lindissimo!

Um grande abraço.

apaixonado disse...

Belo poema, ele te desnudou e fez conhecer um pouco mais sobre esse poeta cruzeirense.
Abraços

Marilac disse...

Carlos
Que lindo poema!
O amor tem fases , as vezes estamos assim intensos, noutras mais serenos, querendo colo e aconchego.
Gostei especialmente desses versos:

"Em dias claros sou pássaro atrevido,
em noites escuras sou vagalume escondido
que escolhe quando brilhar"

bjs
Marilac

Reflexo d'Alma disse...

Esse poema me leva a essa musica de um autor, poeta e interprete que amo:
Um Móbile no Furacão
Paulinho Moska
Você diz que não me reconhece, que não sou o mesmo de ontem
E que tudo o que eu faço e falo não te satisfaz
Mas não percebe que quando eu mudo é porque
Estou vivendo cada segundo e você
Como se fosse uma eternidade a mais
Sou um móbile solto no furacão...
Qualquer calmaria me dá... solidão

Na última vez que troquei meu nome
Por um outro nome que não lembro mais
Tinha certeza: ninguém poderia me encontrar
Mas que ironia minha própria vida
Me trouxe de volta ao ponto departida
Como se eu nunca tivesse saído de lá
Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão

Quando a âncora do meu navio encosta no fundo, no chão
Imediatamente se acende o pavio e detona-se minha explosão
Que me ativa, me lança pra longe pra outros lugares, pra novospresentes
Ninguém me sente...
Somente eu posso saber o que me faz feliz
Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão

http://letras.terra.com.br/paulinho-moska/48074/