ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 9 de junho de 2011

A ESTRADA QUE EU FIZ


A estrada que eu fiz começou desde cedo.
Jamais quis saber os segredos.
E assim fui aprendendo... reticente... pertinente
que a estrada, a gente conhece fazendo
caindo, levantando, amando, sofrendo, amando novamente.
A estrada que eu fiz teve subidas e descidas.
Teve retas monótonas e perigosas curvas, e nas minhas ilusões turvas
cobertas de chuva, de nuvens e neve, vivi muita emoção,
pois dentro de mim só um ritmo batia... meu coração.
Nem sempre a dor foi breve, a alegria também não.
Nem sempre a fonte saciou minha sede, meus desejos
por isso aprendi a ser sozinho e a conter meus lábios
esqueci as águas, as mágoas e até os beijos
não estou entre os grandes sábios, nem entre os perdidos também.
Nem sei o que sou, ou como me classifico
às vezes, complico, mas vou, sigo sem ferir ninguém.
Na estrada que eu fiz, chorei,
mas também brinquei, sorri, porque me permiti.
Tolo é quem não chora... não sente a leveza do que é ser.
Eu sou como a natureza,
durmo na penumbra e acordo em aurora. A dor me faz crescer.
Na estrada que eu fiz, abri minha rede.,
dormi com a saudade, apanhei da insônia, namorei estrelas
e quando não podia mais vê-las...
vinha o sol avisando que não era tempo de lamentações, nem de comemorações
que havia uma nova batalha depois daquela curva
que a visão pode estar turva
desde que tudo esteja claro no coração
só o sentimento pode nos dar orientação.
O fim, não sei, e isso também não é um resumo,
preciso retomar meu rumo na estrada que eu fiz.
Que venham os ventos...
neles encontrarei a força para novos momentos
ainda que nessa estrada, eu seja só um aprendiz
mas, só lutando eu sou feliz.
Talvez eu olhe para trás um dia
e contemple a estrada marcada
por minhas pegadas...
pegadas de poesia.

12 comentários:

Everson Russo disse...

Estrada de amor e sonhos,,onde trilhamos nossos caminhos,,,e nem precisamos olhar pra tras...nessa estrada vamos jogando pétalas de flores pra perfumar a trilha de quem nos segue e nos acompanha em amor...abraços fraternos de bom dia pra ti meu amigo...

✿ chica disse...

Linda a tua estrada,Carlos e certamente verás poesia nela se olhares pra trás! abraços,chica

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos
Só aprendemos a andar depois do primeiro passo. Por mais longa e tortuosa que seja a estrada, sempre teremos forças para continuar, porque os momentos bons servirão de combustível.
Grande abraço

Sandra disse...

Assim é feita a estrada da vida: alegrias, tristezas, vitórias e derrotas, mas sempre o sonho e a poesia.
beijinho

ValeriaC disse...

Maravilhoso poema, meu amigo...quanta vivência, que bela estrada voce vem construindo a cada dia de sua vida...
Beijos...
Valéria

Enigma disse...

Carlos meu amigo,

Belíssima composição, quem decide o caminho pelo qual devemos seguir somos nós mesmos. Muito carinho e amizade. Bjs!!

Jorge disse...

Lindo, Poeta!!!
Agora, é seguir a outra metade do caminho.

Abração!!!

Dri disse...

E que linda pegada....
E que voce nos abasteça sempre com suas pegadas poeticas.

Saudade do seu canto. Mas meu computador esta em crise..rs

Abraço.

Eduardo Medeiros disse...

olá carlos, tudo bem?

é isso aí, é na caminhada que o caminho vai se fazendo.

abraços

Estrela disse...

Uau!
Quanta emoção dentro de algumas linhas!
Você fala dos sentimentos com uma profundidade incrível!Faz-me lembrar de mim mesma.
Beijos!

Majoli disse...

Oi Carlos, assim vamos nós meu querido amigo, construindo a nossa estrada.
Não só de alegrias, mas também não só de dores, mas sempre com lindos ensinamentos e aprendizados.

Que sua estrada seja sempre de muitas vitórias, viu?

Beijos dessa amiga que te admira muito.

Everson Russo disse...

Um otimo final de semana pra ti meu amigo,,,abraços.