ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 14 de março de 2008

QUANDO ACENDE O FAROL




Luzes não brilham à toa,
elas vêm coroar um momento bom
ou clarear um outro ruim
e tantas coisas acontecem
quando o farol se acende pra mim

Quando acende o farol
iluminando mais que o sol
revela uma identidade secreta
fazendo-me poeta
declarando o que a alma insiste em guardar.
Nessa hora,eu cresço,
nessa hora apareço,
pois,é hora do espírito falar.

Quando o farol se acende
minha alma se rende
num instante gigante
retratada num papel,
nem todo mundo entende,
mas compor poesias é como estar no céu..
E é de lá que vem essa fonte ou essa luz
seja lá qual for o nome
que nunca se consome,
fazendo-me um homem eterno
em poesias que vão ficar
provando que a morte leva,
mas não pode nos apagar.

/////////////////////////////////////////////////////
CARLOS SOARES DE OLIVEIRA

Um comentário:

natureza disse...

Incrível! me empresta um pedaço de papel, qualquer papel...
pois voei, fui junto até o céu
com esse farol, mas chorei pois não fui eu quem construí essas palavras, esse poema lindo.Parabéns