ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 17 de março de 2008

EIS O CORDEIRO...






Quando será o descanso do herói
de um povo que não faz nada?
Um herói que só usa palavras e não espada.
Até quando seus ombros vão agüentar as cruzes de cada um?
Que povo é esse que mata seu rei?
Rei ou cordeiro? os dois...
numa fusão divina e incomum.

Numa via crucis que dura dois mil anos
lá vai ele carregando,
tanto fiéis quanto profanos.
Perdoando a Judas e Pilatos,antigos e modernos
salvando homens de seus infernos.
E as perguntas atravessam o tempo.
Para saber vamos esperar o terceiro milênio ou o terceiro dia?
Por que o beijo,um ato tão sublime
ser o símbolo do traidor?
Até quando pagará o justo pelo pecador?
Qual será o itinerário final
do calvário do bem contra o mal?
E o povo prefere a tragédia, a “divina comédia”
e assim, escolhemos um dia para celebrar o Seu nascimento
e O crucificamos a todo momento
////////////////////////////////////////////////////





Um comentário:

natureza disse...

bem lembrado,até quando "lavaremos nossas mãos?" vendaremos nossos olhos a jogar a poeira sob tapetes?... lindo! abraços