ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 28 de março de 2008

O ÚLTIMO PASSO

Cada poesia é uma flor que sai de mim,
que rego...e entrego.
E que esse jardim seja fértil até o fim.
Que meu último suspiro seja um perfume de amor.
Quem sabe esse será o último passo para eu viver o verdadeiro SONHO DAS ESTRELAS
e alguém que tenha entendido escreva numa lápide fria: AQUI JAZ UMA FLOR .
Sim...o último passo é sempre triste.
E não sei se ainda existe algo tão certeiro nessa terra
Não importa a forma que virá...violento... dormindo... sorrindo
fazendo amor ou fazendo guerra.
A lápide é fria,mas a lágrima arde
assim como a saudade covarde.
Mas pior que ter saudade é não ter em quem pensar.
E o pior de quem parte é não deixar saudades.
Sinal que não valeu, não viveu.
Mas que eu não seja lembrado apenas pelo último passo,e sim
por todos os meus passos,
pelo meu sorriso raro,mas sincero,meus abraços
minhas letras tortas do dia a dia.
E quando eu adentrar a porta que se oferece
farei uma prece em forma de poesia,
ainda que digam do outro lado: Que teimosia!
Ora,fazer o quê? Só sei escrever.

E assim,tudo se nivela;
classes,cores,raças.
Todos têm seu dia de último passo
e o mais cruel é que não se sabe quando
e às vezes não temos tempo
pro perdão,pro abraço
por isso é bom dignificar todos os passos
que antecedem o último passo.
pois quando a lápide se fecha,cerrando a cortina, é o adeus.
fim do espetáculo que é a vida
que alguém superior nos deu... e tomou
mas que tenha sido , mesmo árdua... ainda divertida
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

NOTA: 70% Do meu tempo é emoção. Às vezes paguei por isso,mas não sei fazer diferente.
Vim ao mundo para fazer poesia. Comer,beber, trabalhar, enfim... o resto é secundário.

Carlos Soares de Oliveira

2 comentários:

natureza disse...

jcphnVolto aqui em busca de palavras
Volto não para pisar em flores
Volto em busca de inspiração
As tem, eu sei, lindas...
Perenes, sou tua fã
Vou embora, talvez leve um sopro
De tuas mão...
Desculpe o egoísmo, se não olhei para o chão. Abraços. tudo de bom

Carlos Soares de Oliveira disse...

Claro que você não pisa em flores,nem despreza palavras,pois sei que as cultiva,tanto as flores como as palavras.A admiração é recíproca.O universo é uma grande troca de energia,já me disse uma amiga.Nas leis da física,os opostos se atraem,mas na interação do universo,os iguais é que se atraem.Muito obrigado por vir a mim me trazer um pouco de sua energia e de seu sopro.Abraços,tudo de bom