ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 27 de outubro de 2020

O POETA, A BORBOLETA E O SÁBIO CHINÊS.

 


Num domingo qualquer de um mês qualquer,
como se fosse um sábio chinês,
ele acordou com uma daquelas dúvidas que nos consomem,
e se perguntou:
Escrevo tanta poesia;
sou o homem fazendo poesia,
ou a poesia fazendo o homem?
Então, ele mesmo se respondeu:
Não quero saber a resposta,
se é isso que meu peito gosta,
não importa como acontece,
nem como aconteceu.
Não há poesia sem o homem,
não há o homem sem a poesia,
são dois em um, uma mistura,
só importa que se somem
no círculo vicioso do dia a dia.
Se tudo isso é loucura,
mostre-me então o que é lucidez,
é direito do poeta,
ter seu dia de sábio chinês.
=
Nota: Para quem não conhece, O CONTO DO SÁBIO CHINÊS é mais ou menos assim: Ele entrou em meditação tão profunda que sonhou que era uma borboleta. Mas sonhou tanto, tanto que quando acordou, ficou na dúvida: era um sábio chinês sonhando que era uma borboleta, ou uma borboleta sonhando que era um sábio chinês?
E o Raul Seixas inteligentemente musicou isso.

( imagem dedevarga.com - flickr.com - google )

11 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Uma bela mistura!

Abraço

chica disse...

Gosto desse conto e adorei te ler,mais uma vez! Sempre bem inspirado! abração,chica

María disse...

La escritura es la inspiración del poeta, sus emociones, sus sueños, sus fantasías, más o menos todos tenemos algo de poetas.

Me gustó tu entrada.

Besos.

© Piedade Araújo Sol disse...

Gostei muito de ler.
Obrigada pela visita.
Beijinhos
:)

Daniela Silva disse...

Muito interessante. Bjinho

lua singular disse...

Oi poeta.

Tu sumiste das nossas vidas
Simples leitores casuais
Volta sereno. O que aconteceu?
O mar entrou no nosso coração
Ele então apeteceu...
"Pra você uma saudade escritor!"
Pra nós a procura dos escritos
Só ficou a saudade nos corroendo...
Sempre gostei dos seus escritos. Por que sumiste?
Agora parece estranho, terá de nos reconquistar.
Beijos no coração
Lua Singular

Maria da Graça Reis disse...

Ainda bem que existem homens que fazem poesia.Bjs

MARILENE disse...

Dois lados que se completam. A poesia está em tudo, mas precisa das palavras para existir. Gostei muito. Abraço.

Ana Bailune disse...

E eu penso que, na verdade, jamais teremos a resposta...

Só pra você disse...

Boa tarde poeta! Saudades daqui... Bjs

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa noite, Carlos, então quem está pronto para responder?
A poesia é isso mesmo, nos deixa refletir sobre de que lado estamos, é tanta sensibilidade
que se faz necessário aprofundarmos mais e mais nas letras e nos versos, pois quem sabe após algum tempo saberemos que somos só poesia.
Lindo seu poema. Boa noite!