ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

SOB O SIGNO DAS MÁSCARAS... DO BEM E DO MAL!


Sempre quis falar disso, mas nem sempre as palavras vêm quando a gente quer. Literatura tem disso. Desde pequeno, muito ligado às estórias em quadrinhos, já sendo um poetinha questionador, ficava me perguntando: se os heróis são boas pessoas, se combatem o mal, se são do bem e lutam por ele, por que a necessidade de usarem máscaras? Como se fosse feio e perigoso fazer o bem. Não eram máscaras de falsidade, eu sabia, apenas precisavam esconder o rosto. Existem muitos tipos de máscaras; por exemplo, o poeta não exatamente usa máscara, mas também tem dupla identidade; no meu caso por exemplo, me confundo se sou mais o Carlos, ou o poeta... pensando bem, na maior parte do tempo sou o poeta, de vez em quando o mundo pseudo real me puxa para o materialismo, mas essencialmente, sou na maior parte do tempo, o poeta, isso me faz mais leve e mais forte, mais compreensivo também. Isso não tem muito a ver com o tema, só queria falar um pouquinho de mim (rs rs). Voltando aos heróis, Homem Aranha, Batman, Durango Kid, Zorro, Fantasma, e outros tantos, me deixavam encucado, e eu vivia a me perguntar o porquê. O tempo passou, já superei os "traumas dos quadrinhos ( rs rs), acontece que essas perguntas voltaram a me incomodar. E por que voltaram a incomodar? Vivemos tempos sombrios, e percebo que as pessoas de bem estão se calando, se escondendo, como se, imitando os quadrinhos, fosse feio fazer o bem, como se fosse perigoso fazer o bem. O problema disso é que o mal que devia usar máscara, a da falsidade, não se constrange mais em mostrar o rosto, vai se instalando a cada vez que os bons se calam. "Ninguém que escreve poesia pode ser do mal", alguém me disse uma vez, de fato o poeta é do bem, e eu não vou me omitir, a poesia, a escrita em si, é minha ferramenta, pode ser só o que tenho, mas é o que me basta, embora sempre fique uma pontinha de medo, afinal é perigoso sim viver para o bem, mas é o que nos eleva ao topo do Altíssimo. Rezo que um dia as pessoas de bem não precisem usar máscaras, não precisem se esconder, e não tenhamos que conviver com o sorriso escrachado, debochado e irônico do Coringa, o herói ao avesso, só porque uma parte acha bonitos esses estigmas do mal.
=
( imagem Contos do Sol Lua- google )

10 comentários:

CÉU disse...

Excelente reflexão … do BEM, Carlinhos. Bj.

chica disse...

Sempre lúcidas tuas reflexões...Gostei muito,Carlos! abração,chica

Ana Bailune disse...

Uma excelente crônica, muito boa de se ler.
Há Coringas demais e Batmans de menos.
Mesmo assim... bom final de semana!

lua singular disse...

Oi Carlos,
Quanto tempo!
E continuo sendo a mesma Dorli que você conheceu, você virou poeta e eu continuo no blog escrevendo minhas experiências, criando outras.
Agradeço sua visita
Lua Singular

Vanessa Vieira disse...

Excelente reflexão poeta! Estou junto nesta luta para que mais pessoas possa ser do bem e para o bem! Que a gentileza seja nossa palavra de ordem!

Sigamos espalhando poesia e cantando a canção da vida!

Muito grata pela visita ao meu bloguinho! Feliz demais em vê-lo por lá!
Abraço grande!

Toninho disse...

Eu sei do poeta Carlos e sei o quanto certas situações incomodam e fazer reflexões. Mascarar-se e esconder-se e ou defender-se, ou mesmo fazer o bem e ficar no anonimato. Máscaras caem todos os dias nobre poeta, mas a poesia, esta é escancara o sentimento e fica tudo mais lindo.
Bravo Carlos!
Vai ser poeta pelo mundo amigo.
Meu terno abraço mineiro celeste.
A coisa não anda boa para nosso celeste, mas não cai.
Inté amigo.

Diná Fernandes de Oliveira Souza Souza2 disse...

Olá Carlos,

Que beleza de crônica, gostei de ler suas reflexões.

Abraço!

Roselia Bezerra disse...

. "Ninguém que escreve poesia pode ser do mal"...

Boa tarde de paz, amigo Carlos!
Ledo seu post e programando pois será o próximo homeangeado na segunda no Cantinho Espiritual do Leitor.
Bravo!
A frase que recortei acima é uma verdade incontestável, quem for do mal está no lugar errado ou é para sua conversão. Eu creio, piamente, nisso.
Muito bom ler seus posts relevantes e poesias da mesma forma.
Tenha dias felizes e abençoados!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Cidália Ferreira disse...

Sempre muito agradável de ler!
Acho que o perdi um dia, quando por acidente eliminei toda a lista de blogues. Fui recuperando.
Já o levo comigo!
-
A densidade do tempo entristece meu olhar
Beijo e uma excelente Semana.

Lúcia Silva Poetisa do Sertão disse...

Vim lá da Rosélia, do cantinho do leitor, e me encantei com seu blog, a profundeza de seus escritos e a poesia linda e plena que emana do seu ser. A essência da tua poesia me fez ser sua seguidora.
Beijos carinhosos!