ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 6 de novembro de 2018

MEU CORAÇÃO NÃO É DIGITAL!


Nesse tempo tão digital,
meu coração tão analógico.
Não muito lógico, mas com toda razão.
Nem apológico...
Apológico, talvez só da liberdade,
vivo as coisas como elas são.
Acredito numa verdade:
Não se prenda à rotina,
pois, não há lógica maior que a lógica da emoção.
Fotografo essa vida com a retina
e armazeno no coração;
é onde faço minha analogia
transformando em poesia, em emoção
o que chamam de real, de razão.
O mundo pode até ser digital,
mas, eu? ... eu não!

6 comentários:

Rejane Tazza disse...

Que bom não sermos digitais. Linda poesia e que bom te ver de volta! abração,chica

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde, Carlos!
Ainda bem que continuamos de 'carne e osso' pois seria um caos mundial. Muito de nós nos comportamos como se fôssemos e o resultado temos visto como é.
Tenha dias venturosos e aconhegantes!
Abraços fraternos de paz e bem

Ivone disse...

Querido amigo Carlos, que prazer de novo aqui, eu estava em férias, saudade de todos os amigos que, assim como você, são virtuais, mas as almas são presenciais!
Como é bom constatar que não tens coração digital e eu digo o mesmo, o meu também não é digital.
Analogia em viver, que bom isso, apologia somente a liberdade, como é bom sentir a alma livre, o corpo até pode ser aprisionado, mas a alma, ah, que delicia sentir a vida!
Amei ler aqui, sempre nos mostra a sua alma sensível de um bom pisciano!
Abraços bem apertados!

Toninho disse...

Perfeito amigo.
Os digitais como diz Gil são mudos como os cérebros eletrônicos
Meu abraço celeste Hexacampeão.
Tudo de bom Carlinho.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Carlos. Ainda bem que somos feitos de emocem condutoras da vida.
Caso contrário, seria muito rigidr e frio o viver.
Parabéns.
Beijos na alma.

Mulher na Polícia disse...

Esse Hexacampeão tá é prosa e poesia, hein, Carlos.

Me pergunto onde é que essa humanidade vai parar...

Vamos fazendo a diferença.

Beijo!