ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

ATÉ A MADAME MIN VAI CASAR???





Danou-se! Outro dia já casei a Dona Florinda, agora vou casar a Madame Min. Estou parecendo Santo Antônio rs rs. Brincadeira, mera coincidência.
Quem me conhece sabe o quanto gosto de quadrinhos, cresci lendo gibis, sei até a história de muitos personagens, como nasceram, o primeiro texto deles etc. Tinha uma grande coleção mesmo já adulto, hoje não mais, o dia a dia nos rouba essas coisas. Os autores dos quadrinhos são muito inteligentes e criativos, eu os invejo um pouco, gostaria de trabalhar nisso. Lembro-me de uma historinha em que a bruxa Madame Min fica apaixonada, e a partir daí vai ficando muto engraçado, pois ela é feia pra danar, fica o tempo todo tentando ficar bonita para que o possível namorado se interesse. O mais interessante é que mesmo ela sendo uma bruxa poderosa, não consegue melhorar a aparência, e tome feitiços, poções mágicas, rezas brabas, e até milk shake... ai ai, olha o milk shake de novo aí rs rs. Acontece que esse não era seu único problema, seu problema maior era a rivalidade, a concorrência. Coitada, era insegura. E logo quem era sua rival? Outra bruxa... sua amiga Maga Patalójika. Então o que a Madame Min faz? Isola a amiga por medo de que ela tome o namorado. Repetindo, os autores são mesmo inteligentes e trazem histórias reais para dentro dos quadrinhos. Por etapas... até uma bruxa deseja casar. Bacana isso, é um direito. Outra... a tola fixação pela beleza física. Outra... a insegurança das pessoas, afinal a Madame Min não tem mais dezoito anos, e vendo o tempo passar, para não perder sua última chance de casamento isola até a amiga bruxa. Mais uma... se ela isolou a amiga é porque não confiava nela, sabia do que a amiga era capaz, e é bem assim, as pessoas convivem com os defeitos de uma pessoa, ou fingem conviver, e aproveitam a primeira oportunidade para expor os defeitos dessa pessoa. Quantas situações como as que citei presenciamos na vida real! E a conclusão... nenhuma das duas mereceu o coração do rapaz, nenhuma delas, depois de trocarem muitas farpas, energias ruins, maldições e etc,  nenhuma teve sucesso com o namorado. Eu faria diferente da Madame Min; em vez de ficar tentando ser bonita, podia melhorar o coração... onde deve residir a verdadeira beleza.
===
( imagem Disney )

4 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Gostei de ler, carlos. Parabéns.

Beijos e um dia feliz.
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Nanda Olliveh disse...

Perfeito o que disse amigo!
Amei ler-te!

Beijo

Helena disse...

Ah, meu amigo, existem tantas Madame Min por aí, levando uma Maga Patalójika a tiracolo... Este mundo de tanta cultuação ao corpo, ao belo, leva muitas pessoas a esquecer o sentido da verdadeira beleza, culpa até das propagandas desenfreadas que atribuem milagres a determinados produtos, cremes, pílulas, etc. Quem tem o amor próprio em baixa embarca direitinho neste comércio meio louco de consumismo, em busca de algo que nem a própria pessoa sabe o que é. E um tempo enorme é perdido, tempo este que poderia até ser empregado na busca de aprimorar conhecimentos, este sim, necessário não só no campo dos relacionamentos, como profissionais. Mas estou fugindo do tema (risos) que a Madame Min expulsando a possível rival do caminho, coisa que a gente infelizmente vê acontecendo entre pessoas que se diziam amigas e que, de repente, por um homem que apareceu todo vestido de príncipe, fez acabar a amizade, a confiança, o relacionamento. Coisas da vida, amigo Carlos, coisas da vida e do ser humano tão insatisfeito consigo mesmo que chega a ultrapassar as barreiras do bom senso. Ah, isto é assunto para muitas folhas, rss.
Meu querido, vim desejar que teu Natal seja do jeitinho que hoje estás a planejar, acrescido de coisas que fizeste por merecer e que só o Pai do Céu te pode conceder.
Que 2016 venha inundado de realizações, dessas que normalmente ousamos planejar no findar do ano que já esboça seu cansaço e está indo embora...
Fica com sorrisos e estrelas a brilhar nos teus olhos, para que continues a nos brindar no próximo ano com as pérolas que teu coração ousa sonhar.
Com carinho,
Helena

lua singular disse...

Oi Carlos.
Há tantas histórias verdadeiras iguais a suas que at´é me aperta o coração
Beijos no coração
Lua singular