ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

UM DIA COMO OUTRO QUALQUER?


Poderia ser sim um dia como outro qualquer, mas acabou sendo uma quinta-feira meio diferente. Estávamos em cinco pessoas no carro do trabalho, quando o motorista avistou uma fila de carros, e foi reduzindo até parar. “Será que foi acidente?”, alguém perguntou. “Pode ser blitz”, alguém comentou. Mas não era nada disso, era uma cena que jamais vou esquecer, e nem quero. Um simpático bicho preguiça atravessando a estrada, com aquela lentidão, aquela paciência que todos sabem que lhe é bem própria. O motorista disse: “ Acreditam que é um bicho preguiça atravessando a estrada?”. Eu que não gosto de perder essas coisas desci do carro para ver... e lá estava ela... com aqueles braços longos atravessando para o outro lado, com certeza em busca de comida. Num certo momento, ela olhou de lado, com um dos braços levantados, como quem diz: “Calma, raça humana. Sei que estou atrapalhando vocês, mas vou passar já já. A diferença é que eu não corro como vocês”. Essa imagem foi bem simbólica, emblemática aos meus olhos de poeta. Pensei: “ A natureza freando a correria humana”. Olhei para trás e vi a fila de uns quinze carros, os que chegavam por último buzinavam impacientes, mas quando tomavam conhecimento, se aquietavam, alguns, principalmente mulheres e crianças, tiravam fotos do bichinho que um dia ousou parar o trânsito, a sociedade mecânica, a engrenagem, talvez numa forma de a natureza nos aconselhar para frearmos um pouco essa vida louca, que cessemos um pouco nossas buzinas, nossos atropelos, nossa ignorância, nossa impaciência. Sim, foi assim que eu vi essa cena: uma dica de bem viver dada pela mãe natureza. 'A natureza de Deus!" Como eu gosto de falar essa frase! Evidentemente, todas aquelas pessoas daqueles carros seguiram em frente, a vida tem que continuar, só espero que mais pessoas, como eu, tenham tido a mesma impressão que aquela cena quis mostrar. Não creio que aconteceu à toa, Deus nos envia sinais o tempo todo, eu me orgulho de ter essa antena de sensibilidade, ou essa capacidade de ver de um modo diferente as coisas que aos olhos dos outros parecem normais. No meu mundo, o mundo que eu inventei, é assim. Até lembrei-me de Dona Celina, uma professora da 6ª série que me deu conselhos de mãe ( olha aí eu citando duas vezes a palavra mãe): “ Cuidado com esse mundo que você visualiza dentro de você. Pode se decepcionar”. É verdade, me decepcionei sim algumas vezes, mas eu não sei ser de outro jeito. Obrigado, amiguinho bicho preguiça, entendi seu recado. Obrigado por não deixar minha quinta-feira ser um dia como outro qualquer. Prometo desacelerar nessa estrada da vida, quero deixar a impressão de que fui um passageiro que tornou a viagem um pouco mais agradável.
=======
Eu diria que nasci para ver essas coisas. E daí? Todas as pessoas viram. Por isso vou adiante: Eu nasci para escrever sobre essas coisas.
==================
( a foto não é de hoje, é de outubro, mas serve bem para ilustrar o texto. Será que é a mesma? Não duvido. Comigo acontece de tudo )

6 comentários:

✿ chica disse...

Que legal e realmente esse bichinho preguiça parecia deixar um recado e tu o entendeste bem! Valeu! abração,chica

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso e emocionaste texto.

Como se chama esse bichinho? é emsmo preguiça?

Beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Ivone disse...

Que lindo, amei ler e entendo perfeitamente o seu ponto de vista, pois eu adoro a natureza, já vi esse bichinho ao vivo e a cores também quando fui à Manaus, em junho, nossa, adorei, curti tudo o que há de lindo na natureza rica daquele lugar!
A Preguiça é linda, rsrs, adoro, ela nos ensina sim, viver em correria é estressante e nos causa doenças, ainda bem que todos entenderam né meu amigo,(você de forma especial)!
Ainda bem que esperaram que ela atravessasse, que bom, no fundo todos nós queremos viver uma vida mais tranquila, pena que nem sempre é possível!
Abraços apertados!

Louraini Christmann - Lola disse...

É a natureza pedindo passagem.
VIVA A NATUREZA!

Nelma Ladeira disse...

Bom dia Carlos.
Achei lindo seu texto!
Eu também penso como você!
As vezes acho que sou um pouco estranha mas...Eu penso dessa forma,nada é por acaso!
Agradeço a visita,beijinhos.

Brisa Petala disse...

OI CALROS
TEm pessoas que não sabe admirar a natureza.é tão raro acontecer um espetaculo desses. Um abraço
Ana