ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

ONTEM EU CHOREI


Ontem eu chorei,
Não sei por quê... mas eu chorei.
Talvez por uma saudade que pensei que tinha morrido.
Talvez uma lágrima escondida, ou um sorriso proibido.
Dizem que os sorrisos contidos viram lágrimas cálidas,
pois envelhecem, não florescem.
As realidades são pálidas.
Nem tudo é o que a gente crê.
Aí a gente chora sem saber por quê.
Isso é estranho,
pior é quando ninguém vê,
então no travesseiro me consolo.
Ah... eu chorei como menino pedindo colo!
Talvez por recordar  uma canção antiga
que o rádio nunca mais passou,
ou  por  sentir  a  falta de uma mão amiga
que a minha nunca mais tocou.
Ah... eu choro tão frágil!
Queria ser mais ágil
para disfarçar essa lágrima teimosa
e dar lugar à minha risada mais gostosa.
Ontem eu chorei... não sei por quê mas chorei...
chorei até conseguir dormir.
Felizmente hoje é um novo dia,
e eu pude voltar a sorrir
como há tempos não fazia.
Sorri e também não sei por quê.
Isso também é estranho,  eu diria
pior  é quando ninguém vê.

10 comentários:

Maria da Graça Reis disse...

A saudade nunca morre.
Linda poesia.
Abraços

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Carlos!

Parabéns pelo bonito poema que nos ofereces ler.


Beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt

Rô... disse...

oi Carlos,

muitas vezes as emoções transbordam nossas vontades,
mas acho isso bom,
ser verdadeiro em todas as situações...

beijinhos

✿ chica disse...

Que lindo,Carlos e por vezes chorar é preciso! Lindo te ler! abração,chica

Ana Bailune disse...

Às vezes a lágrima fica ali atrás, esperando um empurrãozinho para cair. Pode ser uma lembrança que vem no vento, uma palavra dita por alguém, uma música que toca no rádio. E ela cai.
belo poema!

Diná Fernandes disse...

Eu também já chorei muito abraçada ao meu travesseiro poeta. Seu poema de versos sentidos ficou um primor. Saudações poéticas.

* Edméia * disse...


*Carlos, menino poeta, como você

está ?! Tudo bem ?!

Carlos, prefiro que ninguém me

veja chorando ! Tem gente que

adora nos ver sofrer !!!

*Bom final de semana, meu

amiguinho !!!

*Um abraço forte.

Estrela disse...

Esse poema é como todos os outros:maravilhoso.Espero,amigo, que não tenhas chorado. Mas se chorou realmente e conseguiu dormir, tenha certeza de que um anjo afagou teus cabelos, secou tuas lágrimas e as ofereceu a Deus em forma de oração.
Beijos Poeta!

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde Carlos


Fantástico este teu poema, que me assentou que nem uma luva! Amei...

Beijinho
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Carlos.O choro de saudade nem sempre conseguimos entender o porquê, mas é bom quando conseguimos desabafar e sentir a nossa alma aliviada.
Os motivos para as lágrimas rolarem são tantos, assim como quando sorrimos, nem sempre o motivo é aparente.
Quando ninguém vê é justamente quando mais estamos precisando de alguém, principalmente, se for por dor o caminho que estejamos seguindo.
Muito linda a poesia.
Graças a Deus que renascemos sempre.
Tudo de bom, feliz semana de paz!
Beijos na alma.