ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

domingo, 7 de abril de 2013

O BRUXINHO E A FADINHA - UMA HISTÓRIA DE AMOR


( imagem google )

Mais um texto para meu livro quase infantil.

Num reino próximo, bem mais próximo que a gente pensa, havia uma fadinha e um bruxinho, mas eles não se conheciam, talvez pelas suas funções distintas no reino. Ela, fadinha em início de carreira, menina do bem, só fazia boas mágicas, tão comportadinha, vivia ajudando, tocando com sua varinha aqui e ali, por onde passava tudo ganhava graça. Ele, mais experiente, tinha anos de magia, mas também não fazia bruxarias do mal, eram apenas peraltices que às vezes tiravam as pessoas do sério, tanto é que ninguém o condenava, ele só não gostava muito das coisas convencionais, afinal, quem tem o dom da magia, precisa saber ser diferenciado, pois assim já nasceu. A fadinha ouvia falar dele com certa curiosidade, diziam que ele sabia mostrar o outro lado das coisas, que às vezes até adivinhava pensamentos, e viajava por lugares desconhecidos. Isso a atraía, afinal, uma fadinha, não é apenas uma fadinha, ela é também... mulher. E assim resolveu procurá-lo, encontrou-o muito além das montanhas, num vale lindo, do jeito que um bruxinho merece. “Olá, Senhor Bruxinho. Vim conhecer sua magia, ouço muito falar de você por aí”. A resposta dele, surpreendeu a menina: “Olá, Fadinha. Eu também ouvi falar muito de você, diziam que havia por aí uma linda Fadinha, mas pessoalmente, vejo que é mais linda do que falam”. Tímida, ela ficou corada, parecia que ele havia jogado nela seu primeiro feitiço. “ Gostaria de conhecer seu mundo, sua magia”, ela disse. Ele segurou sua mão: “Venha. Vou lhe mostrar coisas lindas que ninguém sabe”. E andaram juntos por muito tempo, contemplando os lugares e as coisas com intensidade de uma forma que ela nunca tinha visto antes. Sentados à beira de um lago, maravilhada, ela comentou: “Vi tudo tão lindo porque me mostrou com sua magia... mas como ver assim, dessa forma permanentemente?”. Segurando em seu queixo, ele respondeu: “As pessoas precisam aprender a ver a vida com olhos de simplicidade, e também com intensidade. As coisas mais simples são as mais belas. A montanha só é maior que o grão de areia no tamanho físico. Tudo tem razão de ser, tudo tem valor, até uma rocha inerte tem algo a nos dizer, tudo tem beleza aos olhos de quem sabe ver. Uma flor desabrochando tem a mesma intensidade de um vulcão em erupção... mas é preciso saber ver, é preciso ir ao fundo de todas as coisas. As pessoas precisam deixar de ser superficiais. Ver o mundo com superficialidade é o mesmo que não ver. Somos química, somos física, somos energia, somos amor, somos fé, ganhamos a vida para vivê-la. Eu não fiz nenhuma magia para possibilitar você ver a beleza, foi você quem se permitiu. A partir do momento em que quis, você viu”. “Encantada com suas palavras, você é mesmo um grande Bruxinho”. Ele beijou seu rosto: “E você é uma linda Fadinha que agora vai deixar de ser tímida”. Ela deu um sorriso de canto de boca: “Já estou deixando de ser... a partir de hoje. Bem... preciso voltar ao meu vale. Por que não vai lá conhecer também?”. Saiu andando com seu charme e encanto, ainda deu uma olhada para trás com um aceno de mão. O Bruxinho ficou contemplando-a enquanto se afastava, também estava encantado, enfeitiçado pela primeira vez em sua vida. Passaram-se alguns dias e a imagem da Fadinha não saía de sua mente, mesmo com toda sua experiência, capacidade e intensidade de ver e tocar tudo, nunca havia se sentido assim. “Ora... o que estou fazendo aqui contrariando o que eu mesmo digo que é buscar a vida? Claro que vou ao vale da Fadinha, preciso vê-la”. Não foi difícil encontrá-la, era tão querida que todos sabiam onde ela estava. O bruxinho ficou fascinado com a beleza do lugar, “digno de uma Fadinha”, ele pensou, “claro que tudo aqui tem o toque dela”. Sentada numa pedra, num lindo jardim, ele nem precisou chamar, ela sentiu sua presença. Virou-se com olhos brilhantes: “Que boa surpresa, Bruxinho”. Ele agachou-se à sua frente: “Como e lindo o seu lugar! Quanta beleza você colocou aqui! E eu lhe falando sobre beleza, sendo que você é a Fadinha da beleza. Ouvia dizer que tudo em que você põe a mão fica lindo, mas eu não podia mensurar... hoje tenho certeza. Gostaria que tocasse em mim também”. Ela alisou seu rosto: “Bruxinho... Bruxinho encantador. Você me mostrou a maior de todas as belezas: o amor”. E se beijaram, enfeitiçando-se um ao outro ainda mais. A magia do amor aconteceu. Viveram felizes para sempre... como merecem aqueles que se amam.

18 comentários:

Lis Fernandes disse...

Olá, querido poeta!
Puro encanto e magia.
Linda história de amor...
Um amor além da visão.
Aplausos mais uma vez.
Beijos.
Lis

Kotta1947 disse...

Fiquei presa a esta leitura, por momentos entrei num mundo encantado
que me transportou à minha infância
época de histórias de encantar. Foi muito bom. Abraço

Wanderley Elian Lima disse...

Adoro contos com final feliz, acho que sou um romântico.
Boa semana
Abraço

Sandra Botelho disse...

Lindo...Lindo...LIndo!
me deu saudades de quando eu contava historias para meus filhos. Que bom que vai lançar um livro infantil. As crianças precisam de mais incentivo a leitura. Parabens poeta isso mostra que tens um coração puro. Bjos achocolatados

Marilu disse...

Querido amigo, linda história, adorei "a fadinha em começo de carreira" rsrs. Com certeza seu livro vai ser muito legal. Tenha uma linda semana. Beijokas

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia meu menino beija-flor!!!!!!
Que bonito essa história meu querido .Sua veia é muito suave e,vejo que estás pronto realmente para ingressar num livro infantil...
Meus parabéns e bjs!!!!

Aleatoriamente disse...

Fui lendo e me encantando com a Fadinha e o Bruxinho.
É um texto muito cheio de sentimento, reflexões e aprendizado Carlos.
Bom... Você tem o dom.

Beijinho

Fernanda Oliveira disse...

Olá Amigo Carlos! Que bela postagem, um encanto!

PS:Amigo Carlos, essa semana estou compartilhando em meu blog poemas de amigos do Blog, teve uma poesia sua, que foi a primeira que li(Poeta é o que sou!) amei, gostaria de saber se posso compartilha-la em meu blog,e perguntar como coloco seu nome: Carlos Soares de Oliveira ou Carlos- Menino Beija-Flor?

Beijos!

Fernanda Oliveira

José disse...

Olá Carlos!

É sempre um prazer ler os teus textos, seja em prosa ou em poesia, seja aqui ou seja lá é sempre uma alegria.

Grande abraço
José.

Vera Lúcia disse...


Olá Carlos,

Linda e envolvente a narrativa desta deliciosa história de amor entre bruxinho e fadinha.
Fiquei a ler encantada, como se fosse 'quase criança'.
Uma história muito bem elaborada, pois traz em suas linhas belos e importantes ensinamentos.

Abraço.

Parole disse...

Adoro histórias de amor, ainda mais quando bem contadas.

Beijo.

Estrela disse...

Que conto lindo!Fascinante! Estou sem palavras, Concordo que as pessoas devam ver a vida com simplicidade e intensidade e isto,poeta,nota-se que fazes muito bem.
Bjão!

Maria da Graça Reis disse...

E tudo acabou bem...
Muito bom quando os finais são felizes.

Um abraço

Janita disse...

Belo conto, que vem emprestar mais sonho a quem já sonha, Carlos!
Fadinhas inocentes e bruxinhos experientes podem dar casais excelentes!
Tudo o que importa é esse sentimento lindo a que chamamos Amor. Quando ele é sentido verdadeiramente a dois, não há barreiras nem diferenças que se interponham entre ambos.

Acho que este conto não é só ficção, não!

Beijo amigo, tudo de bom!

Arione Torres disse...

Oi amigo, que lindo! Amo histórias com finais felizes!
Tenha um ótimo fds, beijos!

Severa Cabral(escritora) disse...

FELIZ DIA DO BEIJO !!!!!!!!!!!!!!
ATITUDES...
PARABÉNS PELO TALENTO EXPRESSO DE FORMA MAGISTRAL EM CADA PENSAMENTO...CADA ESCRITA ...
BEIJOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Palavras disse...

Olá meu caro,

fico feliz quando leio uma história que ainda tem magia e ainda fala de amor. Histórias que orgulhosamente podemos contar para os nossos filhos.

Grande abraço

Leila

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Carlos. Querido amigo, adorei o texto, realmente encantador.
A fadinha tinha sua história de vida e o bruxinho também. A troca de experiência dos dois fortaleceu essa sintonia que nascera entre eles, tornando-se amor.
Mensagens de como viver a vida e ser feliz!
Parabéns, amigo.
Seu livro será um sucesso, você merece!
Tenha uma semana abençoada e fique com Deus.
Beijos na alma!