ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

O DIA EM QUE A POESIA FALOU COMIGO


( imagem anjodeluz.ning;com )
Em toda a minha vida, as coisas aconteceram comigo sempre rodeadas de poesia. De um tempo para cá, tenho explicado aqui o porquê e origem de alguns poemas e textos antigos. Dessa vez a personagem central é uma senhora de oitenta e oito anos.
Eu estava em Ipatinga, no teatro para receber uma honrosa premiação de 8º lugar conquistado em 2004, num festival estadual. Festival que persegui por dezenove anos, afinal era na minha cidade, onde passei infância e maior parte da juventude. Era uma questão de honra para mim, ganhar algo na minha cidade, mesmo já não morando lá há tanto tempo. Participei das primeiras reuniões daquele clube de escritores. Fui membro ainda nos seus primeiros passos. Daí imaginem minha empolgação de estar ali.
Os poetas sentados em meio à platéia, eram chamados conforme categoria literária e por classificação em ordem regressiva. Um senhora ao meu lado, muito simpática e elegante, estava empolgadíssima com tudo. De vez em quando colocava a mão no meu braço e comentava algo. Eu, atencioso respondia a tudo e acabava comentando às vezes também. Nos intervalos das premiações, havia show de palhaços. O próprio apresentador, muito engraçado, fazia a premiação ficar bem divertida. E a tal senhora não parava de falar comigo. “Que maravilha!”. Era a expressão que mais usava.
Por fim chegou minha vez. Chamaram meu nome e fui viver meus trinta segundos de aplauso, da passarela até o palco. Aqueles aplausos ainda ecoam dentro de mim. Pisei onde muita gente famosa pisou. Foi minha primeira vez num palco, pois participava na maioria em concursos distantes, e minha inexperiência, apesar de já com 37 anos, acabou me atrapalhando. Pensei que não podia tirar fotos. Fui tolo, não tirei. Mas importante é que eu estava lá. Quando retornei à minha cadeira com meu certificado de menção honrosa, a tal senhora falou. “Que maravilha! Você também é poeta. Eu devia ter imaginado. Que tola eu fui. Um rapaz tão... tão... tão... gentil e atencioso só podia ser poeta”. Respondi, ainda me refazendo da tremedeira de ter ido ao palco. “A senhora também é muito simpática. Obrigado pelo ‘rapaz’. Tenho 37 anos”. Ela interrompeu logo. “Ah, mas o coração é jovial. Eu sinto meu coração com vinte anos”. A premiação seguiu. No final teve um rápido coquetel no salão de festas e fiquei ali andando entre os stands, falando com alguns poetas e vendo livros.
Pois a senhora me abordou de novo. “Seu nome é Carlos, não é?”. “Sim e o da senhora?”, perguntei. “Dolores, sou de João Monlevade, o menino primeiro colocado do juvenil, posso dizer que é meu aluno. Sou educadora. Vim acompanhá-lo. Eu adoro vir aqui a essa festa linda, sempre que posso eu venho. Alguém sempre me traz. Você é de onde?”. Antes de responder, fiquei admirado. Tão idosa, encarando uma viagem de carro perigosíssima de duas horas e meia, numa rota montanhosa.E ainda numa noite chuvosa. Disse a ela.
“ Dolores, nome bonito a senhora tem. Nome romântico. Sou daqui mesmo, mas moro em Governador Valadares”. Ela segurou minhas duas mãos, com as suas trêmulas da idade e disse. “Olha, meu filho. Tenho oitenta e oito anos, escrevo desde uns oito. Eu sou simplesmente apaixonada com poesia. Nunca pare de escrever. Isso é a coisa mais linda do mundo. Respeite-a, porque foi Deus quem colocou dentro de você. Deixe que lhe façam qualquer coisa, que lhe batam, xinguem, riam de você, mas não deixe jamais que lhe tirem a poesia. Ela é a sua essência”.Sinceramente engoli seco. Deu-me um tapinha no rosto e antes que se afastasse, agradeci pela sabedoria e prometi a ela, manter o respeito que já trago pela poesia, desde criança..
Respeito sim, a poesia. Quem é de meu convívio sabe. Poesia já tem nome de mulher não é à toa. Digo às pessoas que a poesia é o melhor que tenho. É a minha maior convicção. A poesia é meu charme.
Fiquei ainda um tempão parado num canto, olhando-a entre tantas pessoas bonitas, onde ela, com certeza, era a mais bela, com seus cabelos de neve, com sua simpatia e com sua aura poética. Já era meia-noite quando voltei dirigindo pela rodovia, onde tinha que parar às vezes, porque uma lágrima teimosa, mas boa, gostosa, insistia em embaçar minha visão. Se a lágrima é salgada, o sonho é doce. Justo no dia em que alguém querido me decepcionou dizendo, “isso tudo é utopia, não leva a nada”, tive um contato mágico com aquela senhora me mostrando exatamente o contrário. Agora para mim, o mais importante já não era o prêmio que recebi ou as fotos que não tirei, e sim, ver a poesia rejuvenescida numa senhora de oitenta e oito anos, me dizendo para nunca parar. Acho que a própria poesia falou comigo. Quando finalmente dominei a lágrima, retomei a estrada. Demorei quase o dobro do tempo da viagem, porque voltei feliz, sem pressa, intrigado, durante 100kms me perguntando. “Por que essas coisas acontecem comigo?” Tudo tem que ser assim, com emoção? O que tem em mim que atrai essas coisas? Sou por acaso um para-raios? ”. Perguntas que nunca vou saber responder.
Daí uns dias escrevi sobre aquele momento e espero reencontrá-la, lá mesmo, para presenteá-la com o poema que ela me inspirou e dizer que aquele encontro foi para mim...

ESSENCIAL
Deixa que te batam.
Que te vaiem,
que te xinguem.
Deixa que te isolem, que te amolem.
Não liga que teus sonhos eles esqueçam, que te aborreçam.
Que amanheçam à tua porta cobrando verdades e até mentiras.
Deixa que zombem, ironizem, na vida tudo passa.
Sê como a caravana que ouve os cães e segue em graça.
Deixa que não se encantem contigo, que plantem toda maledicência
Só não deixes jamais que mexam na tua essência.

14 comentários:

Priscila Lima disse...

Puxa esse foi de tirar o folego! A essencia da alma fala mais alto!
tenha uma otima semana...
Abraços
Priscila lima

Elaine disse...

Olá!
Bom dia!
Estou passando para conhecer seu blog um pouco melhor.
Também para desejar um semana linda, com muitas coisas boas.
Concom a última frase: Não deixe mexerem na tua essência...
Lindo!
Beijos e fique com Deus.

Fatima disse...

Oi Carlos!
Texto lindo!
Vc vai contando e a gente vai ficando emocionada com vc.
Bjs.

Elaine Barnes disse...

OLá! Essa sua poesia tem td haver comigo hoje. Sim, estou revirando gavetas internas e externas tb. rs...Obrigada por me dar o prazer de ler coisas tão profundas que mexem com a gente. bjs

Regina Azenha disse...

Carlos, tua sensibilidade é notória em cada um dos teus escritos.Sou tua amiga e fã.
Que Deus sempre te ilumine,para que possamos ser brindados com
a tua poesia...única.
Beijos
Regina

Princesa disse...

____________0000_______VERDADEIRAS__
___________000000____SÃO COMO__
__________00000000_______AS ESTRELAS__
________000000000000__________NÃO____
00000000000000000000000000000__AS_____
__0000000000000000000000000__VEMOS__
____000000000000000000000___TODA_____
______00000000000000000___HORA____
_______000000000000000___MAS SABEMOS_
_______000000000000000_____QUE ELAS ___
______00000000000000000_______*EXISTEM*_
_____000000000_000000000___________TENHA
____0000000_______0000000___________UM
___000000___________000000___ÓTIMO RESTINHO
__000___________________000__DA SEMANA...

Beijos

Anônimo disse...

Sonhos de um poeta que nos faz sonhar juntos. Aquela senhora não esteve no seu dia por acaso.Foi com certeza a recompensa que você merecia num dia de contradições.Você recebendo seu prêmio e alguém próximo chamando de utopia. Se a poesia é uma divindade,como vc diz que é,e eu acabo concordando ao ler esse texto,foi ela quem enviou aquela senhora para falar com você que o seu sonho é mesmo doce. Acho muito lindo vc dizer que respeita a poesia, que chama ela de seu charme.Olha,impossível não chegar às lágrimas.Só que eu tambem achei a lágrima que chorei,gostosa. Lindo tudo isso.Maravilhada! Até para comentar é dificil.Grande beijo
Luciana SC

Úrsula Avner disse...

Olá meu caro escritor, seu poema " Da minha janela " é muito bonito, revelando sua sensibilidade e desenvoltura poética. Grande abraço e obrigada por seu carinho.

SO PARA OS INTIMOS disse...

Olá, sua poesia Essencial é maravilhosa, intensa, ameeeeeeeeeeeeeei! Espero que não se importe, vou divulgar em meu blog.
Obrigada pela visita e pelo comentário.
Abçs
Adriana

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A vida é um incêndio:
nela dançamos,
salamandras mágicas
Que importa restarem cinzas
se a chama foi bela e alta?
Em meio aos toros que desabam,
cantemos a canção das chamas!
Cantemos a canção da vida,
na própria luz consumida...

(Mário Quintana)

Desejo um lindo resto de semana com muito amor e carinho.
Abraços Eduardo Poisl

Izi disse...

oi,

sou a Izinha do blog magicoolhar, vou tirá-lo do ar e estou substituindo pelo "Simples, assim..."

te espero...
mil beijos!

Úrsula Avner disse...

caro poeta, seus textos são sempre reflexivos e trazem importantes mensagens. Que bom que a poesia fala contigo... Um abraço.

Fernanda Oliveira disse...

Nossa amigo Carlos, que lindo!
Me emocionou...
Posso te dizer que realmente...
A poesia falou contigo.
Amigo só quem tem sensibilidade, pode admirar as palavras saídas da alma que você escreve.
Por isso o que a bela senhora lhe disse, eu repito! Não pare! E acrescento algo mais...
Não pare, porque você está entre meus autores favoritos!
E sinto no coração a beleza dos teus versos.

Beijos de sua amiga Fernanda Oliveira

Fernanda Oliveira disse...

Amigo Carlos, achei linda a sua experiência.
Realmente a Poesia falou contigo!
Me emocionei.
E que você siga em frente, e siga o conselho da tão sábia senhora.
Não pare! E eu também lhe peço, não pare.
Só quem é sensível sente a poesia, admira.
Você é um dos meus autores favoritos!
Quando leio teus versos, a poesia acarícia meu coração.

Beijos de sua amiga Fernanda Oliveira