ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 5 de maio de 2009

ERA UM BOTÃOZINHO


( imagem orkutei.com )
Não sei quem estava mais ansioso.
A flor ou o beija-flor.
Ambos queriam se dar, se ter, se receber.
A flor até então era só um pequeno botão.
Sensível, amável.
O passarinho parecia sedento, insaciável,
mas soube tocar... com maestria, com poesia.
Não podia um lindo botão se machucar.
E assim, sem deixar de ser intenso,
sugou na medida certa.
E o botão que apenas sonhava
com um amor imenso, um grande desejo
depois daqueles beijos virou uma flor aberta.
O passarinho teve que partir no fim da tarde,
a vida infelizmente tem disso
e agora, no peito dos dois uma vontade arde.
Ele vai voltar.
Ele quer, a flor quer
e novamente vão se ter, se dar, se receber.
Amor a quem sabe dar amor.
Foi assim o primeiro encontro
do passarinho com a flor.

12 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Olha,
a palavra parada;
Luta,
por letras ocultas;
Ouça,
os versos internos
Solta,
a nudez poética;
Escreva-se,
poesia
ao menos um dia,
Seja.

(Maísa)

Desejo uma linda semana com muito amor, esperança e carinho.
Abraços.
Eduardo Poisl

aninha disse...

adorei .. quero pedir a sua ajuda so nova no blogger:) n sei mexer muito

mundo azul disse...

________________________________

Que coisa mais bonita a sua história, Carlos!

Que ambos se reencontrem e sejam felizes, sempre...


Beijos de luz e um dia muito feliz!!!

__________________________________

(Carlos Soares) disse...

Muito obrigado,Zélia

Solange Maia disse...

Carlos,

Esse primeiro encontro será sempre eterno...

Que lindo...

Estou na torcida para que seja o primeiro de muitos..

Gosto de como escreve, tem delicadeza e paradoxalmente muita força !!!

Muito bom !

Um beijo especial,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

Nanda Botelho disse...

Oi Carlos!

Vim agradecer a visita e comentário!

Vc entendeu tudo sim, era isso que eu queria comunicar, eu tenho o conhecimento teórico, mas extrapolei dele por necessidade da alma.

E minha ética é construída com a pessoa que estou de acordo com nossos princípios e valores, fiz esse desabafo, porque até pouco tempo tinha vergonha e medo de ser assim, hoje não tenho mais e quero compartilhar com as pessoas.

Abraço!

Ah! Muito legal a descrição do encontro amoroso do beija flor com o botão, penso que é assim mesmo que acontece, nós aprendemos a amar devagar na tentativa e erro.

Ni ... disse...

Moço... seu cantinho é lindamente poético...
Voltarei mais vezes...

Beijo

aninha disse...

NOSSA OBRIGADO .. IMAGINA COMEÇEI A ESCREVER A POUCO TEMPO SO UMAS PALAVRAS .. QUE BOM Q GOSTOU :)

Úrsula Avner disse...

Olá poeta, prazer em conhecer o seu cantinho. Seu texto poético é delicado e terno ! Também já escrevi sobre o beija-flor e é uma delícia ! Escrevo poesias e citações e estou fazendo novos contatos no blogspot. É muito bom conhecer novos autores e compartilhar os trabalhos. Um abraço.

Izinha disse...

Oi Carlos,

a saudade dos momentos q tocaram oo coração sempre vão permanecer, mas se forem mais fortes vão enfrentar tudo e novamente poder se doar.

bjos com carinho e um fds muitoooo especial.

TERE disse...

Carlos...bem longe, neste Norte de Portugal sinto um pouco esse sentir, expresso nos últimos poemas e este senti-o sublime. Viva o amor...Voe, ame, seja feliz...com beija flores, colibris...

Parabéns pelo que escreve, pelo blogue e um abraço ternurento. de

Docetere

Parapeito disse...

...ternura em em cada pétala..em cada bater de asas...
Uma delicia ****