ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

MUITO ANTES DO NEYMAR EU JÁ CAÍA.


Uma das coisas mais gostosas da infância era jogar bola na chuva. Bastava o céu escurecer, os amiguinhos saíam para as casas dos outros chamando para jogar, eu era um dos principais a fazer isso. As mães sofriam com as roupas enlameadas. Pensando bem, não sofriam muito não, basta para a mãe que o filho esteja feliz, lavar as roupas daqueles moleques era só um detalhe. Bravas mesmo ficavam quando a gente, lá pelas dez horas ou mais, depois de passar o dia todo na rua, queria dormir com os pés sujos de poeira ou lama, e tome chinelo rs rs. No campinho de terra, eu era o que mais caía, caía de propósito, quanto mais lama melhor. Tinha um senhor muito sério, chamado Mário, homem de poucas palavras, mas comigo ele brincava sempre que eu passava com lama até no meu cabelo batendo no ombro: “Tô vendo um palito cheio de lama” ... rs rs eu era magrelo. Ou então me provocava: “Jogador que cai demais é porque não é bom jogador”. Eu retrucava: “Engano do senhor. O craque é sempre perseguido em campo, sofre muita falta”. Acho que eu fui o primeiro “Neymar” da história rs rs.
=

IPATINGA, BAIRRO BOM RETIRO -
Saudades da "Vital Brasil"... aquela rua.

=

( imagem FUTEBOL BH )

6 comentários:

Rejane Tazza disse...

Carlos, tiveste uma infância saudável, feliz em poder brincar e se enlamear.. Lindas recordações! abração,chica

PAULO TAMBURRO. disse...


CARLOS,

que texto fantástico!
Mas você ao cair disfarçava melhor do que o nosso querido Neymar fez ,tenho certeza.
Um abração carioca.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Carlos
comovente o seu texto, são interessantes os relatos sobre a nossa infância,
quantas alegrias vividas, quantas risadas.
Bem quanto aos tombos, com certeza você hoje, é famoso então?
Parece-me que no futebol basta cair para ser conhecido rssssssssssss
Gostei muito de sua escrita. Abraço!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Carlos
comovente o seu texto, são interessantes os relatos sobre a nossa infância,
quantas alegrias vividas, quantas risadas.
Bem quanto aos tombos, com certeza você hoje, é famoso então?
Parece-me que no futebol basta cair para ser conhecido rssssssssssss
Gostei muito de sua escrita. Abraço!

Arte & Emoções disse...

Concordo Carlos! O negócio é cair e esperar que o trouxa do juiz marque a falta. Rsrs.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Zilani Célia disse...

OI CARLOS!
RECORDAÇÕES SINGELAS DE TEMPOS FELIZES QUANDO TUDO NOS ERA PERMITIDO.
ABRÇS
https://zilanicelia.blogspot.com/